Inteligência Artificial: da indústria ao consumidor no supermercado - APAS - Associação Paulista de Supermercados

Inteligência Artificial: da indústria ao consumidor no supermercado

Blog da APAS Show 2017 apresenta dicas para atrair o consumidor no Natal

Software para a gestão da cadeia de suprimentos e estoque usa IA para melhorar os resultados na operação

Ao pensar em Inteligência Artificial aplicada ao dia a dia dos supermercados, muitos associam primeiramente a robôs. Porém, toda a cadeia supermercadista já está colhendo frutos dos investimentos feitos em tecnologia para evoluir a jornada tanto do cliente quanto da indústria. De acordo com Lucas Paschoa, coordenador de marketing do Kikker, um software para a gestão da cadeia de suprimentos e estoque, os supermercados podem usar a IA do início ao fim da operação.

Fazer pedido de compras ideal, nivelar o estoque, eliminar rupturas, quebras e excessos são algumas das oportunidades para a Inteligência Artificial. “O varejo é um dos mais antigos negócios e as soluções de IA podem ser aplicadas da indústria ao consumidor no ponto de venda”, disse Paschoa. Este novo cenário tecnológico do varejo nem sempre foi assim. Segundo o coordenador, por muito tempo as empresas do setor entregaram o serviço sem tanta preocupação com a qualidade.

Tecnologia para melhores resultados

Para o especialista da Kikker, hoje, as empresas de tecnologia podem se unir a outras do setor varejista para entregar resultados relevantes. “Otimizar o estoque, eliminar rupturas, excessos e quebras é o principal papel da tecnologia dentro dos supermercados e o pesadelo que tira o sono do supermercadista”, explicou.

Um dos principais benefícios que a plataforma pode oferecer para o supermercadista é conseguir prever a demanda por meio da análise de dados sem basear-se pela média. “A Kikker consegue entender a demanda com base em 25 variáveis de algoritmos treinados e capacitados para criar uma rede neural capaz de projetar a demanda e necessidade da compra”, apontou Lucas Paschoa.

Na análise de Lucas, por muito tempo a tecnologia foi vista como um inimigo, um vilão, que compete com os humanos por um espaço no ambiente de trabalho. Hoje, está claro que são complementares e andam lado a lado quando o foco está na entrega de resultados melhores. “Estratégias podem ser cada vez mais diárias, quinzenais, para acertar cada vez mais rápido e gerir de forma mais assertiva”, completou o coordenador de marketing do Kikker.


Tags:


Notícias relacionadas


Últimas Notícias



menu
menu