Queda no faturamento em julho precede tendência de alta para o segundo semestre – APAS – Associação Paulista de Supermercados

Queda no faturamento em julho precede tendência de alta para o segundo semestre


O Índice de Vendas dos Supermercados (IVS), no conceito de mesmas lojas, que considera as unidades em operação por no mínimo 12 meses, registrou queda de 3,23% em julho quando comparado ao mesmo período do ano passado. Os resultados do faturamento real dos supermercados no Estado de São Paulo, deflacionado pelo o Índice de Preços dos Supermercados (IPS), ainda apresenta resultados negativos por conta do alto patamar da inflação. No acumulado do ano, o IVS registra queda de 4,34% e, nos últimos 12 meses, 7,13%.

A análise do movimento de consumo em julho, porém, apresenta aumento de 8,22%, deflacionado pelo IPS, quando comparado ao mesmo mês do ano passado (ver Gráfico 1). “Durante a pandemia, tivemos uma movimentação atípica de consumo no varejo alimentar. Por isso, quando comparamos os movimentos de 2021, encontramos uma queda no consumo. Ao passo que vamos nos distanciado da base de comparação que foi distorcida por conta da pandemia, os resultados positivos vão ficando mais evidente a cada mês. Um exemplo é a comparação de evolução de junho para julho”, afirma o economista da APAS, Diego Pereira.

Quando usamos como fator de deflação o IPCA/IBGE, julho mostrou uma elevação no consumo de 3,79% em relação a julho de 2021. Se comparado com o mês anterior, julho desempenhou um aumento de 8,92%. No acumulado do ano marcou 1,11% e, nos últimos 12 meses, 3,98%. (ver Gráfico 2).

Fonte: Consultoria Econômica APAS

Fonte: Consultoria Econômica APAS

A pesquisa de intenção de consumo das famílias promovida pela Confederação Nacional do Comércio, aponta a mesma trajetória de alta percebida nas gôndolas dos supermercados (ver Gráfico 3).

Fonte: CNC – Confederação Nacional do Comércio

Fonte: Consultoria Econômica APAS

E a estabilidade nos preços começa a impactar as despesas de operação das lojas. Julho foi o mês do ano em que os principais custos tiveram o menor peso em relação ao faturamento (ver Gráfico 4).

Fonte: CNC – Confederação Nacional do Comércio

Fonte: Consultoria Econômica APAS

A tendência é que tais movimentos se mantenham neste segundo semestre. Os preços vêm apresentando desaceleração semanal nos principais grupos de despesa. O grupo de alimentação ainda não apresentou deflação. Mas itens importantes dessa categoria mostram tendência de queda de preço em razão, principalmente, da diminuição dos custos logísticos e de produção.

A redução do desemprego e a injeção na economia de cerca de R$ 44 milhões de recursos oriundos do auxílio governamental devem alavancar o consumo das famílias nos próximos meses.

Nota Metodológica: O Índice de Vendas dos Supermercados tem como objetivo acompanhar e analisar o desempenho das vendas do setor supermercadista no estado de São Paulo através da evolução do faturamento dos Hipermercados e dos Supermercados. A pesquisa é composta por hipermercados e supermercados do estado de São Paulo, os quais possuem uma representatividade de 85% do setor supermercadista. Os indicadores são divulgados tanto em caráter de mesmas lojas (que consideram apenas lojas abertas há pelo menos um ano) e de todas lojas (que consideram todas as lojas criadas no período pesquisado). As análises dos resultados auxiliam os empresários do setor na tomada de decisão com relação a reabastecimento, investimentos, compras, estoque. E de maneira geral auxilia o mercado na análise de tendências, plano de negócios, potencialidades e inserção no mercado.


Tags:


Notícias relacionadas


Últimas Notícias



menu
menu