Saiu na SuperVarejo: Nove dicas para vender mais na Black Friday 2019 - APAS - Associação Paulista de Supermercados

Saiu na SuperVarejo: Nove dicas para vender mais na Black Friday 2019


Falta menos de um mês para uma das datas mais esperadas do varejo, a Black Friday, celebrada no dia 29 de novembro. Esse é o momento em que os lojistas precisam começar a se preparar, analisar de forma minuciosa cada parte que envolve os setores da sua loja e tenham o conhecimento dos problemas e gargalos existentes para possam ser resolvidos antes da data, uma vez que a demanda durante esse período aumenta de forma considerável.

De acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), o comércio eletrônico espera faturar R$ 3,45 bilhões em 2019, que representa um crescimento de 18% em comparação ao ano anterior e o valor médio das compras deverá ser em torno de R$ 340. Os produtos mais buscados são informática, celulares, eletrônicos, moda e acessórios, casa e decoração, dentre outros. Por isso, é importante que os varejistas se preparem com antecedência. Para ajudar nesse processo, seguem abaixo algumas dicas que vão ajudar as lojas a terem sucesso na data:

  • Faça promoções de verdade

“A Black Friday chegou ao Brasil com uma enorme desconfiança sobre a veracidade das promoções, e o comportamento de alguns sites influenciou esta percepção. Mas com o passar dos anos a tecnologia foi uma grande aliada para derrubar falsas ofertas e fortalecer a data, que é hoje uma das principais do varejo on e offline.  Por isso, hoje, para se ‘dar bem’ na Black Friday, o varejista precisa de um trabalho estratégico maior do que trabalhar com promoções de verdade. Uma tática que dá um bom resultado é utilizar promoções de produtos muito procurados como um chamariz para levar as pessoas até o seu site e trabalhar produtos relacionados (com desconto menor) para elevar o ticket médio e aumentar a margem das vendas. Outro recurso é oferecer frete grátis a partir de um valor, pois muitos consumidores, para aproveitar o frete, vão comprar produtos relacionados à sua promoção chamariz”, conta Fabio Carneiro, CSO do Promobit, social commerce que reúne as melhores ofertas da internet.

  • Não se esqueça da infra

“Um dos pontos mais importante é um planejamento para garantir que o site irá aguentar o aumento de acessos e não vai cair durante a Black Friday, o que significa que todos os esforços serão jogados por água abaixo. O ideal é que todas as mudanças e implementações sejam realizadas com boa antecedência, para que não seja necessária nenhuma alteração no código próximo a data”, explica Carneiro.

  • Reforce o seu estoque

Para garantir o estoque durante esse período, uma das alternativas é recorrer ao empréstimo online. Ao ampliar os recursos financeiros, o lojista consegue movimentar com mais tranquilidade o capital de giro e obter descontos nas compras por meio de pagamentos à vista junto aos fornecedores. “Durante o período da Black Friday de 2018, registramos um aumento de 50% nos pedidos de empréstimo, motivados principalmente para compra de estoque de produtos. Nossa expectativa para este ano é manter o crescimento em 50% também volume de solicitações de crédito”, explica Francisco Ferreira, sócio-fundador da BizCapital, fintech de crédito para PMEs.

  • Seja Mobile Friendly

Para Marco Zolet, CEO do Supermercado Now, maior plataforma de supermercado online,  além de ser mobile friendly, é preciso ser Omnichannel. “A integração online e offline é ainda mais importante durante a Black Friday para evitar possíveis ruídos. Ter os mesmos produtos disponíveis, por exemplo, na loja física e no app e ter ofertas que façam sentido tanto para o varejista quanto para o cliente é essencial”, detalha.

  • Não deixe de lado a experiência do cliente 

Outro cuidado importante a se tomar em datas com um grande volume de pedidos como a Black Friday é oferecer a melhor experiência possível para o cliente, antes, durante e depois da compra. “A boa relação entre consumidores e marcas merece uma atenção ainda maior nessa época do ano. Por isso, contamos com uma equipe de atendimento ao cliente muito preparada para evitar possíveis problemas e contatar o consumidor o mais rápido possível”, alerta Zolet.

  • Quais meios de pagamento escolher

Oferecer opções de pagamento no momento da compra para fidelizar os clientes, bem como trazer inovações para o negócio em um mercado cada dia mais competitivo, é um importante passo para as lojas online se prepararem para a Black Friday. No entanto, a falta de serviços de pagamentos voltados para os desbancarizados ainda é o grande desafio do setor. Na PagBrasil, por exemplo, o Boleto Flash® soluciona dois dos maiores problemas do boleto tradicional: a confirmação de pagamento demorada – validamos a compra em menos de uma hora – e o layout não responsivo, ou seja, exibimos um layout otimizado da página conforme a resolução que está sendo visualizada. E mais, o pagamento pode ser feito em qualquer instituição bancária, casa lotérica ou entidade autorizada.

  • Entenda o perfil do seu cliente

Durante este período, os lojistas costumam enviar ofertas para um mailing com inúmeros contatos, sem que haja uma análise minuciosa do comportamento desses consumidores. Isso é um erro grave. “Em um período tão concorrido como a Black Friday, a relevância no conteúdo e no canal é a única saída para aumentar as chances de o seu cliente visualizar sua mensagem com as promoções. “Um dos principais erros dos lojistas é tentar ativar todos os consumidores ao mesmo tempo. Por isso é fundamental identificar analiticamente os consumidores que compram mediante as ofertas, pois é esse o público-alvo naquele momento. Esta abordagem evita perder relevância e dinheiro, por exemplo, oferecendo descontos para quem compraria de qualquer maneira”, afirma Israel Nacaxe, um dos fundadores da Propz.

  • Tenha um antifraude confiável 

Garantir a segurança das lojas online durante a Black Friday é sinônimo de sucesso, uma vez que nesse período os criminosos virtuais costumam agir com mais frequência devido à alta demanda do varejo e a vulnerabilidade dos e-commerces. “No ano passado, realizamos um estudo após a Black Friday que mostrou que a média de tentativas de fraude nos quatro principais dias do evento (quinta a domingo) foi de 1,43%, e conseguimos evitar cerca de R$ 10,1 milhões em prejuízo ao comércio eletrônico”, afirma Tom Canabarro, cofundador da Konduto, empresa de antifraude para pagamentos online. Por isso é importante ter uma solução antifraude que possa analisar a compra de forma rápida e ágil e bloqueie a ação de criminosos em tempo real.

  • Ofereça um bom canal para trocas e devoluções

O relacionamento com o cliente é grande diferencial competitivo. As lojas não devem pensar somente em oferecer um bom produto ou solução, é fundamental também, atender as expectativas dos seus consumidores. “Quando falamos em atendimento temos que pensar em tudo que envolve a experiência do consumidor, desde o primeiro contato até o pós-venda. Sendo assim, é muito importante que os processos estejam funcionando de maneira correta, principalmente, em relação a trocas e devoluções, que é onde os clientes enfrentam mais problemas. A minha dica é: tenha políticas transparentes e clareza nos processos”, afirma Albert Deweik, CEO da NeoAssist, plataforma omnichannel para relacionamento com o cliente.


Tags:


Notícias relacionadas


Últimas Notícias



menu
menu