Sistemas de refrigeração: atenção na hora do retrofit - APAS - Associação Paulista de Supermercados

Sistemas de refrigeração: atenção na hora do retrofit


Já não é novidade que o gás refrigerante R22 deixará de ser vendido gradualmente até 2025, tanto que desde 2017, o número de lojas novas com R22 tende a zero em todo país. Mas o número de retrofits – atualização dos sistemas existentes – visando a troca de fluido refrigerante e a eficiência energética, ainda deve crescer muito.

Por isso a ABRAVA – Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento – promoveu o 2º Dia de Treinamento, voltado aos técnicos do setor visando a constante atualização das equipes técnicas de manutenção, e a assessoria da área de sustentabilidade esteva lá para conferir. Apresentamos abaixo os principais pontos de atenção que você deve ter na hora de realizar um retrofits.

• Antes de qualquer ação, elimine os vazamentos. Exija do técnico responsável a revisão e teste de vazamentos para não desperdiçar dinheiro na troca.

• Analise bem a troca. O R22 não está proibido, mas será cada vez mais caro e difícil de encontra-lo à medida que os cortes de importação forem acontecendo. Assim, se seu sistema não tem vazamentos, a troca pode ser feita quando houver necessidade de troca do sistema como um todo. E lembre-se que a reciclagem e regeneração do gás é uma ótima opção para manter o gás já presente no sistema, sempre eficiente.

• Se for trocar, analise as opções – há fluidos que permitem a troca direta pelo R22 e há outros que necessitam trocar também o tipo de óleo do compressor, isso no caso de retrofits direto. Agora, se a decisão é de troca do sistema, verifique as pressões de trabalho de cada gás, pois isso influencia no tipo de compressor e das válvulas de expansão. Não se esquece de questionar seu técnico sobre o preço do gás em caso de reposição e qual a disponibilidade dele em sua loja de confiança. Esses detalhes farão toda diferença na hora mais difícil da operação, caso a refrigeração pare.

• Desconfie de soluções milagrosas – não há gás refrigerante com melhor desempenho que o R22. Apenas sistemas mais modernos, controladores e gases sem contaminantes resultam em melhor desempenho. E atenção aos gases de procedência desconhecida – o barato pode sair caro. Hoje está disponível nas centrais de regeneração de gases, análises laboratoriais para atestar a presença de contaminantes em seu sistema, que podem elevar o consumo de energia.

Sempre que realizar a retirada do R22, troque todas as vedações em borracha. O cloro presente no R22 reage com as vedações e ao sair, libera espaço para micro vazamentos que só serão sentidos após certo tempo de uso.

Surgiu mais alguma dúvida? Então não deixe de contatar a APAS, que disponibiliza para seu associado a Consultoria de Gestão gratuita, onde suas dúvidas serão respondidas por especialistas de cada área, para auxiliar você na escolha pelas melhores práticas do mercado.

E anote em sua agenda: o próximo Webinar de Eficiência e Sustentabilidade acontece em 10 e outubro a partir das 9h da manhã. Nele serão abordados os temas Energia, Refrigeração e Resíduos, por especialistas e supermercadistas. Não perca!


Tags:


Notícias relacionadas


Últimas Notícias



menu
menu